Como o Governo Federal pode Suprir a demanda Energética do país sem precisar da Usina Hidrelétrica de Belo Monte

22-11-2011 21:40

 

A cana-de-açúcar é uma planta que em todo o seu ciclo produtivo ajuda a resgatar dióxido de carbono da atmosfera.

 

O Brasil desperdiça, anualmente, o equivalente a três usinas de Belo Monte ao não utilizar o bagaço e a palha da cana-de-açúcar.

 

As usinas de cana estão preparadas para produzir uma quantidade de energia equivalente a três vezes a que será produzida pela Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Temos três usinas de Belo Monte adormecidas. Precisamos despertá-las.

 

Essas  usinas que produzem energia elétrica a partir da queima do bagaço e da palha de cana gerando uma energia que é considera “limpa”, pois é renovável e seu processo de produção, segundo a Unica, não emite de gases de efeito estufa. Em razão disso, foi assinado em 06/06/2011, pelo o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), um protocolo para que a Energia elétrica produzida em usina de cana passem a ter Selo Verde.

 

Observação:

 

- Como o Brasil desperdiça, anualmente, o equivalente a três usinas de Belo Monte ao não utilizar o bagaço e a palha da cana-de-açúcar, não precisa derrubar florestas para plantar cana, e os bagaços e as palhas da cana pode ser transportados até o local da Usina, sem contar ainda que o sistema energético do país é todo interligado.

 

- Correlação ao tempo de colheita e de plantio, podemos armazena, por certo tempo, os bagaços e as palhas e ir queimando eles gradativamente.

 

- Nunca podemos pensar que uma única fonte de energia é a salvação da pátria, por tanto o Governo Federal tem que investir também em pólos de geração de Energia Eólica e Solar.

Atualmente temos 26 parques eólicos prontos na BA e no RN que estão fora de funcionamento porque o governo não instalou as linhas de transmissão. Eles totalizam 622 MW de potência instalada. Se esses parques estivessem em operação, a energia deles (289 MW na BA e 333 MW no RN) seria capaz de iluminar o Rio Grande do Norte inteiro ou Salvador (BA), terceira maior cidade do país.

 

 

- O planeta Terra não está suportando o crescimento populacional nem o aumento da atividade econômica nos moldes tradicionais. Dessa forma, a conservação dos recursos naturais e a gestão do meio ambiente nos empreendimentos privados e públicos passam a ocupar posição de maior importância nas investigações dos meios acadêmicos e dos organismos internacionais bem como nas políticas nacionais. Por esta razão, o Governo Federal tem que reajustar o modelo energético do país e parar de pensar que é capaz de resolver todos os problemas do país sozinho, e abrir espaço para os centros acadêmicos participarem na resolução de problemas dentro da cadeia energética do país, para que a demanda de consumo de energia elétrica do Brasil seja atendida, mas dentro dos maiores cuidados possíveis para não termos grandes impactos econômicos, sociais e ambientais dentro do país.

 

- O Governo Federal poderia ainda incentivar a população ao consumo racional da energia elétrica por meio de campanhas como, por exemplo, as trocas de lâmpadas incandescentes por lâmpadas de LED, o uso de coletores solares para esquentar a água de chuveiros e torneiras domésticas, e incentivar as empresas a produzirem motores, equipamentos e eletrodomésticos com o Selo Verde e Procel de Economia de Energia.